Brasil

Detalhes

  • Tipo: Press release
  • Data: 12/11/2013

From volume to value: Cost optimization in the mining sector 

Otimização de custos é a saída para as companhias de mineração

Em tempos de volatilidade do preço das commodities e desaceleração da economia chinesa, as companhias de mineração de todo o mundo, que quiserem se manter competitivas e sustentáveis no mercado global, precisarão considerar nove principais fatores que ajudarão a otimizar o custo dentro da organização. A conclusão consta na pesquisa realizada pela KPMG Internacional que elenca os pontos importantes que as empresas do setor devem considerar para implantar programas de redução de despesas sem deixar de lado a lucratividade e competitividade.

 

De acordo com o levantamento, entre as nove questões estão produtividade do trabalho, planejamento de produção integrada, gestão de ativos e gestão de energia. São citados ainda a cadeia de suprimentos e gestão de inventário; serviços compartilhados e terceirização; modelo operacional; gestão da informação; e cultura de redução de custos.

 

“O cenário hoje é bem diferente do passado quando as mineradoras alcançavam resultados históricos e não se preocupavam com custo. Aqui, no Brasil, vemos a redução de muitos investimentos atrelados também à discussão do novo marco. Atualmente, com o consumo em baixa e com a queda do preço do minério, a otimização é realmente a única saída para as empresas enfrentarem os desafios do mercado e se manter fortes diante dos concorrentes”, analisa David Farkas, diretor do Grupo de Estratégias Globais da KPMG no Brasil.

 

Segundo o relatório, a criação de uma cultura com ações sustentáveis é o primeiro passo para que a companhia alcance a meta esperada. “Essa é a hora de as mineradoras mudarem a sua cultura e se adaptarem à nova realidade. A boa notícia é que o setor tem muitas oportunidades para fazer redução de gastos já que trata-se de um mercado bem lucrativo”, finaliza o executivo.

 

NOVE PONTOS PARA OTIMIZAÇÃO DE CUSTO:

 

1 - Produtividade do trabalho - Ao identificar e abordar pequenas ineficiências no desempenho do trabalhador, é possível obter ganhos substanciais de produtividade.  Neste caso, uma série de indicadores-chave pode ajudar a determinar a eficiência da força de trabalho.

 

2 - Planejamento de produção integrada - Ao alinhar setores como mineração e processamento, os proprietários podem minimizar o tempo de inatividade, diminuir horas extras e estabilizar a produção. Com isso, reduzem-se problemas de comunicação entre os dois setores.

 

3- Gestão de ativos - As empresas de mineração precisam atender ativos efetivamente, responder a incidentes e mobilizar peças rapidamente. Os proprietários devem confirmar o tipo e volume de equipamentos necessários para entregar os níveis de produção desejados, com as taxas de utilização específicas.

 

4 - Gestão de energia -  Fluxos de energia ininterrupta, uso inteligente de pico de demanda e gestão de combustível podem evitar prejuízos para as empresas e levar a uma economia de até 5%.

 

5 - Eficiência da cadeia de fornecimento - Através de terceirização estratégica e otimização de estoques, as empresas de mineração podem melhorar as margens e qualidade, manter os suprimentos seguros e estimular a inovação.

 

6 - Serviços compartilhados e terceirização - A abordagem global e integrada para serviços de custos compartilhados melhora a produtividade e adaptabilidade. O primeiro passo em direção a um modelo totalmente integrado é definir o tipo de Recursos Humanos (RH), Finanças, Tecnologia da Informação (TI) e serviços de compras necessários para suportar o crescimento do negócio.

 

7 - Modelo operacional - Modelos operacionais eficazes trazem adaptabilidade e uma cultura de redução de custo dedicados à qualidade do serviço. Um modelo operacional não é apenas sobre a estrutura, mas sim orientar cada parte de uma organização em relação aos seus objetivos estratégicos.

 

8- Gestão da informação - A compreensão sobre o que impulsiona o custo permite que as empresas de mineração possam acessar os dados das operações, a fim de melhorar o desempenho.


9 - Cultura de redução de custo -  Ao dar a equipe um maior entendimento das consequências das suas decisões, os proprietários podem interromper o ciclo de aumento de despesas.

 

Sobre a KPMG
A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory presente em 156 países, com 152.000 profissionais atuando em firmas-membro em todo o mundo. As firmas-membro darede KPMG são independentes entre si e afiliadas à KPMG International Cooperative ("KPMG International"), uma entidade suíça. Cada firma-membro é uma entidade legal independente e separada e descreve-se como tal.

No Brasil, a organização conta com aproximadamente 4 mil profissionais distribuídos em 22 cidades de 13 Estados e Distrito Federal.


Twitter: @KPMGBRASIL
Site: kpmg.com/BR

Atendimento à imprensa
Ricardo Viveiros & Associados - Oficina de Comunicação (RV&A)
Marcel Trinta - marcel.trinta@viveiros.com.br - 11 3736-1127
Bianca Antunes - bianca.antunes@viveiros.com.br - 21 3218-2024
Caroline Norberto - caroline@viveiros.com.br - 11 3675-5444
Roberta Freitas - roberta.freitas@viveiros.com.br - 21 3218-2079
Ligia Daniele – ligia.daniele@viveiros.com.br – 11 3675-5444

 

Twitter: @RVComunicacao
Site: viveiros.com.br


 

Press Release -  

Compartilhe

Compartilhe isso

Cadastre-se agora

Cadastre-se para selecionar os conteúdos de seu interesse e receba atualizações automáticas dos últimos artigos e publicações da KPMG no Brasil. 

 

Já é assinante? Faça o seu Login.  

 

Ainda não é assinante? Cadastre-se.