Brasil

Detalhes

  • Tipo: Press release
  • Data: 24/5/2013

3ª edição do relatório Global Debt Sales 

Pesquisa analisa panorama das negociações de dívidas de 28 países, inclusive do Brasil.

A KPMG International publicou recentemente a terceira edição do relatório Global Debt Sales (Vendas Globais de Títulos de Dívidas), no qual especialistas em vendas de títulos de dívida das firmas-membro que compõem a rede KPMG realizam uma análise profunda das atividades desse segmento em 28 mercados bancários na Europa, Américas, África e região Ásia-Pacífico. O Brasil está incluído entre os países analisados das Américas.

 

O documento examina uma vasta gama de negociações de títulos de dívida, incluindo empréstimos vencidos (os NPLs, ou non-performing loans) e não vencidos em todo o mundo. O objetivo é contribuir para que os agentes do mercado possam ter instrumentos para simplificar a complexidade das vendas globais de títulos de dívida e maximizar o valor das posições de suas carteiras de empréstimo.

 

“Temos a impressão de que quase todo mundo tem falando sobre vendas de títulos de dívidas. De fato, como a crise da dívida soberana europeia afetou o crescimento econômico, tanto dos mercados em crescimento, quanto das economias maduras, a venda de dívidas – relativas ao nível de endividamento de instituições financeiras e de governos – torna-se um dos mais analisados e cuidadosamente observados setores”, avalia Graham Martin, sócio da KPMG no Reino Unido, no texto de abertura da publicação.

 

Sobre o Brasil, por exemplo, o relatório avalia que o País viverá um ano difícil para o setor bancário, caracterizado pela desaceleração do crescimento do crédito, por taxas mais elevadas de inadimplência e significativa compressão das margens de ganhos das instituições. Nos últimos anos, os bancos assistiram a um forte aumento nos volumes de crédito concedido ao setor privado, o que levou a um aumento no nível de inadimplência, gerando quantidades significativas dos chamados NPLs (non-performing loans).

 

“Apesar do aumento na inadimplência e consequente geração de significativas carteiras de NPLs, a negociação de créditos inadimplidos entre instituições brasileiras ainda é pouco significativa, especialmente quando comparamos com mercados mais maduros. No entanto, temos visto crescer o interesse de alguns players interessados em explorar esse tipo de negócio, principalmente aqueles vinculados a empresas especializadas em cobrança”, afirma Nicolas Malagamba, diretor da área de Reestruturação da KPMG no Brasil.

 

Para ter acesso aos dados da terceira edição do relatório Global Debt Sales (em inglês), visite a página eletrônica dedicada à publicação:www.kpmg.com/Global/en/IssuesAndInsights/ArticlesPublications/global-debt-sales/Pages/Default.aspx .

Press Release -  

Compartilhe

Compartilhe isso

Cadastre-se agora

Cadastre-se para selecionar os conteúdos de seu interesse e receba atualizações automáticas dos últimos artigos e publicações da KPMG no Brasil.  

 

Já é assinante? Faça o seu Login.  

 

Ainda não é assinante? Cadastre-se.