Brasil

Detalhes

  • Tipo: Press release
  • Data: 20/8/2013

F&A em Mineração em 2013 

Operações têm recuo de 20% no primeiro semestre deste ano
Impulsionado pelo desaquecimento da economia chinesa, a variação do preço do minério de ferro e a espera pelas alterações no marco regulatório do setor, a indústria de Mineração no Brasil registrou uma queda de 20% no número de fusões e aquisições no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com a pesquisa realizada pela KPMG, nos seis primeiros meses de 2013 foram realizadas apenas oito operações contra dez fechadas em igual circunstância no ano passado. Já no acumulado de 2012, foram contabilizadas 23 transações.

 

Das oito operações realizadas este ano, duas foram do tipo doméstica, três CB1 e três CB4. Os números indicam o interesse pelos estrangeiros em adquirir companhias de mineração no Brasil já que, na maioria das operações, eles aparecem na ponta compradora, diferente do cenário apresentado no total da pesquisa, dominada pelas transações domésticas e com recuo do apetite estrangeiro.

 

“A desaceleração do crescimento na China, a maior compradora de minério de ferro do Brasil, vem trazendo reflexos negativos na indústria mineradora brasileira a partir do ano passado. Desde então, vem diminuindo o apetite chinês, o que deixou alguns investidores receosos”, explica o sócio da KPMG, Paulo Guilherme Coimbra.

 

Segundo ele, a situação deve ser manter estável e cautelosa até o fim do ano. “Embora venha em desaceleração, há uma notícia positiva sobre a China, segunda maior economia do mundo, em relação ao crescimento do país que atingiu 7,5% do PIB no primeiro semestre deste ano, dentro do esperado. Essa informação pode tranquilizar o mercado. Além disso, o setor está em compasso de espera com aprovação do novo marco regulatório que trará mudanças significativas para a indústria”, analisa.

 

Legendas

Transações Domésticas: entre empresas de capital brasileiro

 

CB1: Empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de brasileiros, capital de empresa estabelecida no Brasil.

 

CB2: Empresa de capital majoritário brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no exterior.

 

CB3: Empresa de capital majoritário brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no Brasil.

 

CB4: Empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no Brasil.

 

CB5: Empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de brasileiros, capital de empresa estabelecida no exterior.

 

Sobre a KPMG

A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory presente em 156 países, com 152.000 profissionais atuando em firmas-membro em todo o mundo. As firmas-membro da rede KPMG são independentes entre si e afiliadas à KPMG International Cooperative ("KPMG International"), uma entidade suíça. Cada firma-membro é uma entidade legal independente e separada e descreve-se como tal.

No Brasil, a organização conta com aproximadamente 4 mil profissionais distribuídos em 20 cidades de 11 Estados e Distrito Federal.

 

Twitter: twitter.com/@KPMGBRASIL

Site: kpmg.com/BR

 

Atendimento à Imprensa

RicardoViveiros & Associados - Oficina de Comunicação (RV&A)

Marcel Trinta - marcel.trinta@viveiros.com.br - 11 3736-1127

Bianca Antunes - bianca.antunes@viveiros.com.br - 21 3218-2024

Caroline Norberto - caroline@viveiros.com.br - 11 3675-5444

Roberta Freitas - roberta.freitas@viveiros.com.br - 21 3218-2079

Lígia Daniele – ligia.daniele@viveiros.com.br - 11 3675-5444

 

Twitter: twitter.com/@RVComunicacao

Facebook: facebook.com/ricardoviveiroscomunicacao

Site: viveiros.com.br  

 

Compartilhe

Compartilhe isso

Cadastre-se agora

Cadastre-se para selecionar os conteúdos de seu interesse e receba atualizações automáticas dos últimos artigos e publicações da KPMG no Brasil. 

 

Já é assinante? Faça o seu Login.  

 

Ainda não é assinante? Cadastre-se.